Animais silvestres em residências, um erro contra natureza.

Fotos: Osvaldo Morais

Fotos: Osvaldo Morais

Abusos e maus tratos aos animais estão cada vez mais na pauta da sociedade. Tanto é que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal aprovou, no último dia 2 de julho, um projeto que criminaliza maus-tratos praticados contra cães e gatos. O texto seguiu para votação no plenário da Câmara. E, alem disso, não faltam denúncias e informações a esse respeito nas redes sociais.

Porém, um dos crimes contra animais ainda pouco divulgado refere-se aos que são silvestres, e que são comercializados para viverem em cativeiro dentro das casas. Um exemplo típico acontece na comunidade do Jiquiá, próxima à estação do metrô da Mangueira. Ali, é comum crianças capturarem iguanas, tartarugas e até alguns pássaros silvestres. De acordo com depoimento das próprias mães dos garotos, alguns pegam essas iguanas pra vender, num valor que vai de R$2,00 a R$15,00. Outros, pegam pra cuidar, mas, como não têm prática, esses animais acabam sendo maltratados.

Abusos (que vão desde a captura até a comercialização) e maus-tratos a animais silvestres nada mais são que crimes ambientais. Tais ocorrências precisam ser comunicadas à policia, que registrará a ocorrência, instaurando inquérito. A autoridade policial é obrigada a proceder a investigação de fatos. A denúncia de maus-tratos pode ser feita em uma delegacia de polícia, junto ao Ministério Público, à Polícia Florestal (onde houver) e ao IBAMA, através da “Linha Verde”: 0800-618080 (ligação gratuita).

O que pouca gente sabe, e é bom esclarecer é que o IBAMA não doa animais silvestres, e por isso, também não é possível adotá-los. O que pode ser feito pelo cidadão comum é solicitar ser criadouro, mas para isso, a pessoa teria que construir viveiros, ter projeto, contratar biólogo/veterinário, e por aí vai. Ou seja, toda uma estrutura amparada na lei. Também é bom ressaltar que estabelecimentos comerciais autorizados ou diretamente em criadouros comerciais. Podem manter animais silvestres, desde que tenham registro no IBAMA, com número impresso na nota fiscal.

Portanto, mesmo sem consciência disso, essas crianças residentes no jiquiá, e seus respectivos pais, estão cometendo um crime. Mesmo que achem o animal bonito, e essa seja uma prática comum, isso necessita ser combatido e evitado. É preciso que haja mais informação por parte das autoridades, ao invés de apenas reprimir, pois, assim, a população entenderá que lugar de animal silvestre é em seu ambiente natural, e não preso em casas.

1 Comment

  1. Voce sabia que o Brasil e um dos paises do mundo que mais exporta animais silvestres ilegalmente? E um negocio que movimenta mais de 1 bilhao de dolares e comercializa cerca de 12 milhoes de animais anualmente. Uma das maiores ameacas a natureza.

Deixe uma mensagem